Be happy!

Sou de luz, de sol, de calor!

Não gosto do frio mas gosto das primeiras chuvas e do cheiro que deixam na terra. Creio que a chuva tem o mesmo efeito que algumas lágrimas – purifica o ar.

Sou das teimosas, das que insiste em levantar-se sempre que cai!

Confio, sei que a fé move montanhas!

Gosto de gostar, e embora goste de poucos, desses gosto muito!

Gosto da capacidade de ver oportunidades nas dificuldades.

Gosto de música, de comer, de vinho.

Gosto de rir e sentir-me feliz.

Mas, e o trabalho que isso dá?!? A energia que consumimos para fazer-nos felizes? A determinação que é preciso para não descambar?

Ser feliz dá muito trabalho, ser infeliz parece mais fácil.

Um infeliz encontra motivos e pretextos para continuar a ser assim e está sempre mais acompanhado. À partida ninguém o inveja, há até os que têm pena dele (a começar pelo próprio). E como há sempre alguém que está pior, um infeliz vive aquele misto de emoções: o alívio por não estar tão mal e a tristeza pelo mal do outro. Não importa quem seja, desde que garanta a tristeza. No fundo, bem vistas as coisas, o que importa mesmo é ele próprio.

É inimaginável o quão difícil é a convivência entre duas pessoas que se amam mais que tudo, fazendo uma esforços para ser feliz e a outra entregando-se simplesmente à infelicidade. É indiscritivel o esforço da alma para assistir ao dia-a-dia do infeliz e, ainda assim, manter viva a força de ser feliz.

Um infeliz está preparado para quase tudo, até para o fim do mundo. Mas teme tudo, até o fim do dia.

Um feliz acha sempre que amanhã é outro dia. E que só pode ser melhor!

Nada como um dia depois do outro. E que o que vier a seguir venha por bem! 😺

Facebookmail

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *