Quanto tempo o tempo tem?

Sou pessoa de “deixar para a véspera” desde os tempos de estudante, e normalmente não me estresso muito com isso. Reconheço que, quer do ponto de vista racional, quer do ponto de vista emocional, funciono muito melhor sob pressão. Não ter muito tempo para decidir faz-me ser prática, ver com nitidez os prós e os contras (embora nem sempre acerte!). A decisão torna-se mais intuitiva e menos condicionada por outras opiniões ou influências, tenho menos tempo para “ses” e “porquês”.

Do ponto de vista conceptual tenho uma relação excelente com o tempo.

Tenho sempre tempo para tudo, mesmo quando já estou atrasada. É uma característica detestável. Não é uma escolha, é claro. É mesmo uma incapacidade que tenho, a de saber quanto duram cinco minutos!

A única forma de chegar a horas a um compromisso é falhar o anterior (e mesmo assim não aposto). Pode não ser um atraso de horas, mas aqueles minutinhos ninguém mos tira. Costumo dizer que quando a morte chegar é provável que tenha de esperar por mim, sentadinha a entreter-se com qualquer coisa.

Gosto muito de relógios, acho-os um acessório elegante, mas sou tão desligada com a pontualidade que raramente os acerto quando muda a hora. Até com o relógio do carro faço isso, é sempre o A. quem tem esse cuidado. Graças a Deus que as horas no telemóvel e no computador acertam-se automaticamente. Havia de ser bonito…

Agora, a questão é outra, enquanto conceptualmente lido muito bem com o tempo, sou totalmente inapta para lidar com ele na realidade. A teoria é uma, na prática a coisa é outra.

Tenho hoje a idade que, quando adolescente, achava ser “muito cota”. E a maior parte de mim nem acredita que, na verdade, eu já tenho essa idade. Se for honesta, a maior parte de mim, ainda acha que tem a mesma idade de quando era adolescente, mais coisa menos coisa.

Por motivos de força maior – flacidez e rugas de expressão – andei a pesquisar cremes para a minha cara e vi-me na categoria “pele madura”. Vi vídeos no YouTube sobre cuidados da pele, acabei a ver outros sobre como maquiar a dita pele madura, encontrei material interessante, e em menos de um nada os vídeos sugeridos já eram sobre menopausa. Respirei fundo, desliguei a aplicação e estou a tentar lidar com o facto de que já não devem faltar muitos anos, o que por sinal, até ao momento, não está a correr grande coisa.

Eu? Menopausa? Ahh? Como? Mas não passaram só uns cinco minutos desde que fiquei menstruada pela primeira vez? Putz… 🤕

Facebookmail

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *